PRINCÍPIOS DE AUTORIDADE - Lucas 7.1-10

Pr. Paulino Cordeiro | 26-06-2016

Muitas vezes nos achamos muito bons, que é uma honra para as pessoas por nos conhecerem, entretanto negamos honra as nossas autoridades.

Baixe aqui o áudio deste sermão no formato MP3 - (tamanho de Mb 4.7). 

Quando contamos os nossos testemunhos e bênçãos deixamos algumas "coisinhas" fora que não convém relatar. Envaidecemo-nos quando ficamos cercados de pessoas que necessitam de nossos préstimos.

Gostamos de ficar em evidência com o que fazemos ou falamos, fazendo valer diplomas, condições financeiras, patrimônio, etc. Se alguma coisa parecida acontece conosco, temos muito a aprender com o Centurião nos seus relacionamentos interpessoais.

01. Quem vive nos princípios de autoridade é zeloso

Tendo Jesus concluído todas as suas palavras dirigidas ao povo, entrou em Cafarnaum. E o servo de um centurião, a quem este muito estimava, estava doente, quase à morte. Tendo ouvido falar a respeito de Jesus, enviou-lhe alguns anciãos dos judeus, pedindo-lhe que viesse curar o seu servo - v. 1-3.

O Centurião que comandava 100 soldados (centúria) do Império Romano, como autoridade era zeloso, tinha estima até pelo escravo que certamente era judeu. Quem conhece princípios de autoridade trata com estima a todos e até aos animais (Provérbio 12.10), mas o coração do perverso é cruel.

O Centurião que era uma autoridade militar tinha bom relacionamento com os judeus, diante da doença não hesitou em mandar chamar quem era autoridade no assunto (Lucas 5.31 - os sãos não precisam de médico...).

O Centurião exercia domínio sobre os Judeus sem deixar de ser zeloso em tudo o que fazia, já tinha ouvido falar de Jesus e sentiu-se à vontade para pedir socorro.

Você tem sido zeloso e buscado submeter-se a autoridade de Jesus?

02. Quem vive nos princípios de autoridade é digno

Estes, chegando-se a Jesus, com instância lhe suplicaram, dizendo: Ele é digno de que lhe faças isto; porque é amigo do nosso povo, e ele mesmo nos edificou a sinagoga - v. 4-5.

O Centurião usou da sua autoridade, mesmo sendo do Império Romano, enviou amigos Judeus até Jesus para intercederem por ele, os quais disseram: Ele é digno... Ele é amigo...

Mais vale o bom nome do que as muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a prata e o ouro - Proverbio 22.1.

3. Quem vive nos princípios de autoridade reconhece quem é superior

Então, Jesus foi com eles. E, já perto da casa, o centurião enviou-lhe amigos para lhe dizer: Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres em minha casa. Por isso, eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo; porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado. Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens, e digo a este: vai, e ele vai; e a outro: vem, e ele vem; e ao meu servo: faze isto, e ele o faz - v. 6-8.

Jesus aceita a intercessão dos amigos do Centurião: Então, Jesus foi com eles.

O Centurião não duvidou da autoridade de Jesus para curar: Eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo; porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado.

O Centurião declarou total submissão e desejo profundo de receber o poder da autoridade de Jesus: Por isso, eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo; porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado. Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens, e digo a este: vai, e ele vai; e a outro: vem, e ele vem; e ao meu servo: faze isto, e ele o faz.

Este homem tinha um conceito poderoso de autoridade, que amor a Jesus, que amor ao próximo, honrando-os tanto o servo como ao Senhor Jesus.

04. Quem vive nos princípios de autoridade é honrado por Jesus

Ouvidas estas palavras, admirou-se Jesus dele e, voltando-se para o povo que o acompanhava, disse: Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta. E, voltando para casa os que foram enviados, encontraram curado o servo - v.9-10.

Tendo Jesus notado que o Centurião era guiado por um perfeito principio de autoridade admirou-se e disse: Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta.

Quando você obedece por fé, o maior milagre já aconteceu. Note a satisfação de Jesus: Nem mesmo em Israel achei fé como esta.

O grande milagre não foi à cura do servo doente, foi à submissão e obediência do Centurião à autoridade de Jesus. A cura do servo foi conseqüência deste modo de viver.

Podem notar que o centurião tinha um estilo de vida que agradava ao coração do povo de Deus e do próprio Deus.

Quando andamos em obediência às Palavras de Jesus o milagre já está pronto, basta pedir!

Conclusão

Os princípios de autoridade no Reino de Deus são muito claros: Deus Pai enviou o seu Filho Jesus (Gálatas 4.4-5) que foi obediente até a morte na cruz (Filipenses 2.8), subiu ao Céu e enviou o Espírito Santo de Deus (Atos 1.8-9). O Pastor da Igreja local é um ungido de Deus com autoridade sobre as ovelhas (Hebreus 13.17) e a Igreja (ovelhas) deve andar dignamente (Romanos Capítulo 13).

O centurião tinha um perfeito entendimento e pratica de autoridade por isso foi chamado digno: Estes, chegando-se a Jesus, com instância lhe suplicaram, dizendo: Ele é digno de que lhe faças isto porque é amigo do nosso povo...

Como tem sido a nossa atitude em relação àqueles que dependem de nós?

Como temos nos comportado diante das nossas autoridades?

É uma questão de plantar corretamente, ou seja, vivermos os princípios de autoridade estabelecidos pelo Reino de Deus para colhermos os milagres.

Se você citar a nossa autoria (Paulino Cordeiro) e nosso site (http://www.familiaabencoada.org.br/) poderá pregar na sua Igreja ou publicar em outros Sites. Dê bom testemunho para poder abençoar, seja fiel.  

Paulino Cordeiro - Pastor da CEFA - Comunidade Evangélica Família Abençoada - 02.01.2011 e 25.06.2016 - noite.