RELACIONAMENTO INTERPESSOAL - 1ª Coríntios 12.12-27

Pr. Paulino Cordeiro | 03-06-2013

Baixe aqui o áudio deste sermão no formato MP3 - (tamanho de 7.6mb).

 Era este o contexto da vida em Corinto, eram hedonistas (Gr. edonê) à busca dos prazeres da vida e seu lema era "comamos e bebamos porque amanhã morreremos". É neste contexto que o Apóstolo Paulo aplica o ensino da vida comunitária e a base dos relacionamentos interpessoais. 

 O envolvimento pessoal no primeiro século do Cristianismo era muito sério (Atos 2.42-47) e o Apóstolo Paulo, na Carta aos Romanos, apresenta como ordenança e que seja com amor cordial, sem hipocrisia (Rm 12.9-11).  

 O amor seja sem hipocrisia. Detestai o mal, apegando-vos ao bem. Amai-vos cordialmente (com entendimento) uns aos outros com amor fraternal (de irmão), preferindo-vos em honra uns aos outros. No zelo, não sejais remissos (tardios, negligentes); sede fervorosos
de espírito, servindo ao Senhor.
 

 No texto lido o Apóstolo mostra aos irmãos que o envolvimento pessoal do cristão é temperado com três ingredientes essenciais a um verdadeiro relacionamento: 

1.      Espontaneidade Cristã - v. 24-25 

Deus coordenou o corpo, concedendo muito mais honra àquilo que menos tinha, para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros

A ordem é que haja espontaneidade para eliminar a desigualdade ou a injustiça comunitária e social. 

A espontaneidade com Deus leva ao novo nascimento - Romanos 10.9-11: Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração (entendimento) se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação. Porquanto a Escritura diz: Todo aquele que NELE crê não será confundido. 

A espontaneidade com cristãos é fonte para crescimento pessoal - Atos 2.42-47: E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos. 

A espontaneidade com os não cristãos é a manifestação do amor de Deus - Marcos 16.15-16: E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.  Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.

Só há verdadeira espontaneidade no coração de quem é de Jesus: Ora, o Senhor é o Espírito; e, onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade - 2ª Coríntios 3.17. 

2.     Envolvimento emocional Cristão - v. 26

Eis a receita do verdadeiro relacionamento comunitário Cristão: De maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é honrado, com ele todos se regozijam. 

Quem se envolve com os outros corre riscos, expõe-se a vivenciar tristezas e alegrias. Os relacionamentos interpessoais concedem-nos a graça do crescimento, como seres passíveis de falhas e pecadores, rumo à vida eterna com Deus Pai.

O verdadeiro envolvimento interpessoal leva-nos a sentir tanto as tristezas como as alegrias de uns para com os ouros. Estamos expostos a ferimentos em benefício do próximo. 

A pecadora Maria de Betânia ousou expor-se - Marcos 14.3-5: Estando Ele em Betânia, reclinado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher trazendo um vaso de alabastro com preciosismo perfume de nardo puro; e, quebrando o alabastro, derramou o bálsamo sobre a cabeça de Jesus. Indignaram-se alguns entre si e diziam: Para que este desperdício de bálsamo? Porque este perfume poderia ser vendido por mais de trezentos denários e dar-se aos pobres. E murmuravam contra ela. 

Quebrar o vaso representa a atitude de sair do anonimato, expor-se, lançar fora a capa das tradições, da autossuficiência e da hipocrisia para envolver-se na comunhão santa. 

Derramar o nardo puro representa o verdadeiro relacionamento emocional guiado pelo poder do Espírito Santo; onde busca compreender as emoções dos outros e, também, expõe seus sentimentos e emoções. 

Ninguém pode fazer culto a Deus sem quebrar o "vazo de alabastro", que nada vale, e sem derramar o "nardo puro" que é precioso (mais de 300 denários, um ano de trabalho?), mas agrada ao SENHOR. 

Maria quebrou seu vaso, arriscou tudo, somente ela fez aquilo, mas ganhou a salvação e é lembrada até hoje.   

Só mostrando que também somos pecadores salvos poderemos exalar o perfume de Cristo - 2ª Coríntios 2.15: Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem. 

3.     Responsabilidade Cristã - v. 27

Somos indivíduos numa comunidade, com funções vitais: Ora, vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo. Somos responsáveis uns pelos outros.  

Para o cristão é uma alegria ter relacionamento com Deus, em obediência; relacionamento com os cristãos na comunhão santa e relacionamento com não cristãos para pregar-lhes a Palavra da Salvação. 

Neste princípio de relacionamento com responsabilidade temos a certeza de que não vivemos isolados, sempre alguém está orando por nós; observando as nossas necessidades e alegrando-se com a nossa alegria. 

Somos parte de um todo, somos membros do Corpo de Cristo, temos responsabilidades. 

Alguém, bem perto de você precisa de tua ajuda, é vital agir com responsabilidade. Há pessoas assim, nacidade, no local de trabalho e até nas Igrejas locais. Elas precisam de nós e, para servir a Deus, precisamos delas. 

Se o nosso envolvimento pessoal não for com responsabilidade, tragédias acontecem e bem perto de nós, com pessoas importantes para Deus e para nós.  

Conclusão 

O isolamento pessoal é um potente assassino. 

O envolvimento com amor traz Vida João 3.16. 

Envolvimento pessoal não é passa tempo, é essencial à sobrevivência humana, por isto estejamos vivendo Relacionamentos Interpessoais com Espontaneidade Cristã, Envolvimento Emocional Cristão e Responsabilidade Cristã, diante de Deus e cheios do amor de Deus. 

Se você citar a nossa autoria (Paulino Cordeiro) e nosso site (http://www.familiaabencoada.org.br) poderá pregar na sua Igreja ou publicar em outros Sites. Dê bom testemunho para poder abençoar, seja fiel.
         Paulino Cordeiro - Pastor da CEFA - Comunidade Evangélica Família Abençoada - Sermão compartilhado em 04.01.2009 e 02.06.2013 - Noite.