INIMIGO VOCÊ NÃO AMEAÇA - Lucas 22.39-48

Pr. Paulino Cordeiro | 24-09-2008

Ingênuo quem diz que não tem inimigos. São muitos e estão mais próximos do que imaginamos.

Inimigo é adversário, hostil e nocivo, com intentos malignos, visando destruição espiritual, material ou intelectual.

Um inimigo tenta te agredir com pensamentos ruins e derrotistas; com prejuízos espirituais e materiais e de muitas outras maneiras.

Jesus estava cercado de inimigos. Você tem inimigos? não ameace-os, ataque com armas espirituais!

1. Ferindo mortalmente o inimigo

Quer ver o inimigo mortalmente ferido? então, faça o que Jesus fez: de joelhos, orava, dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; contudo, não se faça a Minha vontade, e sim a Tua - V.42

Jesus sabia que grandes sofrimentos e torturas aguardavam-LHE; estava sendo tentado, o inimigo rugia ao Seu redor, por isto foi falar com o PAI:

a) Para resistir à tentação e sujeitar-se ao Pai, a carne precisa ser humilhada: De joelhos, orava.

b) Confessou que estava sendo tentado a fugir da cruz: Pai, se queres, passa de mim este cálice. Marcos 14.33 diz que Jesus "começou a sentir-se tomado de pavor e angústia", tamanha era a tentação que O cercava.

c) Negou a Sua vontade e sujeitou-se à vontade do Pai: Contudo, não se faça a Minha vontade, e sim a Tua.

Jesus humilhou-se ante à vontade do Pai, declarando que estava disposto a morrer na cruz, por amor aos pecadores arrependidos.

Assim, o inimigo que pensava estar na vantagem, foi mortalmente ferido, pois a obediência a Deus é a maior arma de vitória contra as forças malignas.

2. Recebendo apoio do Céu

A situação estava difícil, angustiante e dolorosa, Jesus precisava de uma atenção especial do Pai, de um fortalecimento para vencer o inimigo.

Então, LHE apareceu um anjo do céu que O confortava - V.43.

Por mais difícil que seja o momento, Deus é Pai e não permite que Seu filho pereça, Ele é o Bom Pastor que cuida das Suas ovelhas.

Temos muitas outras situações onde Deus enviou anjos para confortar e apoiar Seus servos e servas: Sarai e Abrão (Gn 22.11); Jacó (Gn 31.11); Hagar (Gn 16.7); Ló; Moisés; Elias; Gideão; Davi; Daniel; Maria (Lc 1.38) e José (Mt 2.20 e 2.13); aos pastores (Lc 2.9-13); Zacarias (Lc 1.11); quando Jesus ressuscitou (Mt 28.5) e muitos outros casos.

3. Batalha intensa, inimigo eliminado

Confortado, tendo a presença de um anjo de Deus, embora o grande sofrimento e tentação, intensificou a batalha contra o inimigo.

E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra - v.44.

Jesus chegou a apelar (Marcos 14.36), dizendo: "Paizinho tudo te é possível; livra-me deste sofrimento", mas humildemente completou: "contudo, nego a minha vontade e faço como SENHOR quer".

Tudo era muito intenso na vida de Jesus, mas aquele momento foi intensamente decisivo, tinha que vencer a Sua vontade e a vontade do tentador para conseguir fazer a vontade do Pai. Era de fato angustiante; batalha intensiva; sangue gotejando no chão, mas um anjo consolava-O; batalhou heroicamente, ali estabeleceu-se a vitória na cruz e abriu-se o Caminho da grande Salvação pela Graça.

A vontade do Pai prosperou na obediência do Seu Filho Jesus, trazendo Salvação e libertação para todos os pecadores arrependidos.

Quando estamos em obediência a Deus, mesmo estando em meio a grandes sofrimentos, somos confortados por anjos ministradores e derrotamos o inimigo.

Conclusão

Se Jesus não estivesse em obediência ao Pai e disposto a continuar obedecendo, apenas estaria ameaçando o inimigo. Pela obediência às ordenanças, Ele feriu mortalmente o inimigo e ganhou Poder para continuar lutando intensamente até que obteve vitória completa.

A nossa batalha começa de joelho, em oração, e deve ser intensificada até que os inimigos sejam derrotados, na certeza de que a guerra não é nossa, mas o SENHOR dos exércitos é que vai a frente.

Como você tem enfrentado o inimigo, com ameaças (sem obediência a Palavra de Deus) ou no poder da obediência à vontade de Deus Pai?

Promessa: Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida - Ap 2.10b.

Pr. Paulino Cordeiro - 21.09.2008 - noite