Comunidade Evangélica Família Abençoada - CEFA  Pastores Paulino e Roseli Cordeiro
 Seja bem-vindo!Interesses |10 Mais | Buscar em  
 
CEFA
Quem somos?
Origem
Destino
Valores
Contato e Localização
Programação
 

 
Pastorais
Mensagens
Conselhos do Pastor
Estudos
Cuidados espirituais
Testemunhos
Sermões
 

 
Atividades
Cultos
Curso Para Casais
Grupos Familiares
Discipulado
Outras
 

 
Interesses
Feminino
Masculino
Jovem
Casamento
Infantil
Comunhão
Filhos
Família
 

  
 
 

 
PECADO - 2º Samuel 11.2-27 (Pr. Paulino Cordeiro)
Sermão
Interesse de Comunhão

O pecado só é entendido como ofensa e rebeldia à vontade de Deus pela pessoa que já tem o Espírito Santo. Aqueles que não aceitam a Jesus como Senhor e salvador entendem que os prazeres da carne são pura alegria e satisfação, ignoram o pecado. 

O pecado originou-se no coração do homem, continua sendo assim, pois é gerado por inveja, auto suficiência, rebeldia, desejo de poder proibido.

O ser humano tem duas opções, aqui na terra, servir a Deus em obediência e santidade ou servir a satanás na escravidão do pecado. A escolha que fizer, aqui na terra, determinará onde viverá eternamente, no Céu ou no inferno.        

01.   Pecado como acidente

A palavra pecado no original em Hebraico tem o sentido de acidente. Acidente para nós, no Idioma Brasileiro, é algo fortuito, involuntário, que causa danos a si mesmo ou a terceiros, mas não é por isto que fica isento de culpa.

Quando pecamos, o Espírito Santo emite um aviso muito claro: Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação, que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz morte - 2ª Coríntios 7.10.

Só é sensível a este aviso, tristeza segundo Deus, aquela pessoa que anda em obediência a Deus e sua Palavra.

Tu, ó Deus, nos deste as tuas leis e mandaste que as cumpríssemos fielmente. Como desejo obedecer às tuas ordens e cumpri-las com fidelidade! Se eu der atenção a todos os teus mandamentos, não passarei vergonha - Sl 119.4-6.

02. Pecado consciente - 2º Samuel 11.1 a 12.25

No pecado consciente o crente sabe que está sendo tentado, agasalha a tentação nos seus pensamentos e coopera com satanás para desenvolver todo o seu projeto de morte.

Olhemos para Davi e procuremos entender porque caiu na tentação: 01) Ele estava desocupado, v. 1-2a; 02)  Viu uma linda mulher, fixou o olhar e passou a desejá-la, v. 2b-3; 03) Sentiu-se muito poderoso e pecou, v.4-5; 04) Quis dar um jeitinho no pecado, mas falhou porque ele estava cego e o diabo queria causar danos ainda maiores, v.6-13; 05) Davi ordenou outro jeitinho para que Urias morresse, v.14-18.

Passado o luto, Davi mandou buscá-la e a trouxe para o palácio; tornou-se ela sua mulher e lhe deu à luz um filho. Porém isto que Davi fizera foi mal aos olhos do SENHOR - 2º Samuel 11.27.

Davi, depois de exortado pelo profeta Natã (2º Samuel 12.1-13), arrependeu-se: Então, disse Davi a Natã: Pequei contra o SENHOR. Disse Natã a Davi: Também o SENHOR te perdoou o teu pecado; não morrerás.

03. Conseqüências do pecado

Condenação à morte: E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás - Gn 2.16-17.

Maldições: Por causa da desobediência, Adão, Eva e toda a terra sofreram as conseqüências do pecado, tendo recebido maldiçoes terríveis - Gênesis 3.16-19.

Davi sofreu as conseqüências do pecado: Mas, posto que com isto deste motivo a que blasfemassem os inimigos do SENHOR, também o filho que te nasceu morrerá - 2º Samuel 12.14.

Davi passou por grandes lutas e depressão por cauda do pecado, tendo escrito lindos poemas de arrependimento, como os Salmos 32 e 51.

04. Pecado que não tem perdão

Jesus disse que só tem um pecado que é imperdoável, o pecado contra o Espírito Santo. Mas como saber se alguém peca contra o Espírito Santo? Alguns Cristãos afirmam que o único pecado imperdoável é negar que Jesus foi gerado no ventre de Maria pelo poder de Deus; isto é uma afirmação errada, pois, negar é blasfêmia, mas não é a única.

Olhemos para o contexto de Mateus 12.24-37: A questão é que os fariseus acusavam a Jesus dizendo que Ele expulsava demônios, não pelo poder de Deus, mas por belzebu, o maioral dos demônios. Não temos aprendido que Jesus viveu cheio do Espírito Santo? Se Jesus fazia tudo pelo poder do Espírito Santo, então, dizer que expulsava demônios pelo poder de belzebu era blasfêmia contra o Espírito Santo!!!

E nos tempos atuais, como se blasfemaria contra o Espírito Santo? Basta agir como um fariseu, acusar um Pastor, servo de Deus, cheio do Espírito Santo, de louco e  endemoninhado!!!       

Conclusão

Só teve um homem que jamais pecou, Jesus, pois veio como livramento do pecado e da morte eterna: Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque Ele salvará o seu povo dos pecados deles - Mateus 1.21.

Ninguém é tão bonzinho que não peque, ... "Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e ele é a propiciação pelos nossos pecados..." - 1ª João 2.1b-2a.

Não minta, só existe um jeito para liberta-se da escravidão do pecado: Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça - 1ª João 1.8-9 8.

Pr. Paulino Cordeiro - 10.06.2007 - noite

 

 
Links relacionados
· Mais sobre Interesse de Comunhão
· Notícias por paulino


Mais lidos: Interesse de Comunhão:
A IMPORTÂNCIA DA CEIA DO SENHOR - Marcos 14.22-26 (Pr. Paulino Cordeiro)

 

 
Opções

 Imprimir  Imprimir

 Enviar para alguém  Enviar para alguém

 

 
Hoje!
Não há histórias publicadas hoje.
 

 
Clique!









 

 
Já leu?

Interesse Feminino

·Visão de Fé para a Esposa (Pr. Paulino Cordeiro)
 

Certificado de registro da marca processo n.: 904102963
Todas as mensagens devem citar a fonte. Fale conosco antes de divulgar.
(41)3078-7940 / 8418-2586 cefa@familiaabencoada.org.br

Site baseado no software livre PHP-Nuke - Tempo para gerar esta página: 0.025 segundos