NÃO QUERO QUE IGNOREIS – 1ª Coríntios 10.1-12

| 31-08-2014

O apóstolo Paulo está exortando ao Povo de corinto: Irmãos não quero que ignoreis que a Igreja no tempo de Moisés experimentou a presença e o sobrenatural de Deus, entretanto, não se agradou da maioria deles, razão porque morreram no deserto.

Baixe aqui o áudio deste sermão no formato MP3 - (tamanho de 7.0mb).

Ora, irmãos não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos sob a nuvem, e todos passaram pelo mar, tendo sido todos batizados, assim na nuvem como no mar, com respeito a Moisés. Todos eles comeram de um só manjar espiritual e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo. Entretanto, Deus não se agradou da maioria deles, razão por que ficaram prostrados no deserto - 1ª Coríntios 10.1-5.

01. O dever de não cobiçar coisas más

Muitas coisas más aparentam ser bem melhores do que aquelas que possuímos na benção de Deus. Cobiçar as coisa más é querer retornar para a escravidão.

Ora, estas coisas se tornaram exemplos para nós, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram - v.6.

Números 11.4-6: E o populacho que estava no meio deles veio a ter grande desejo das comidas dos egípcios; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar e também disseram: Quem nos dará carne a comer? Lembramo-nos dos peixes que, no Egito, comíamos de graça; dos pepinos, dos melões, dos alhos silvestres, das cebolas e dos alhos. Agora, porém, seca-se a nossa alma, e nenhuma coisa vemos senão este maná.

Números 11.31-34: Então, soprou um vento do SENHOR, e trouxe codornizes do mar, e as espalhou pelo arraial quase caminho de um dia, ao seu redor, cerca de dois côvados sobre a terra.  Levantou-se o povo todo aquele dia, e a noite, e o outro dia e recolheu as codornizes; o que menos colheu teve dez ômeres (176 litros); e as estenderam para si ao redor do arraial. Estava ainda a carne entre os seus dentes, antes que fosse mastigada, quando se acendeu a ira do SENHOR contra o povo, e o feriu com praga mui grande. Pelo que o nome daquele lugar se chamou Quibrote-Hataavá, porquanto ali enterraram o povo que teve o desejo das comidas dos egípcios.

02. O dever de não se tornar idólatra

A idolatria sempre foi abominável aos olhos de Deus, a tal ponto que ele considera abominável como a prostituição carnal.

Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; porquanto está escrito: O povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para divertir-se - v.7.

Êxodo 32.7-10: Então, disse o SENHOR a Moisés: Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste sair do Egito, se corrompeu e depressa se desviou do caminho que lhe havia eu ordenado; fez para si um bezerro fundido, e o adorou, e lhe sacrificou, e diz: São estes, ó Israel, os teus deuses, que te tiraram da terra do Egito. Disse mais o SENHOR a Moisés: Tenho visto este povo, e eis que é povo de dura cerviz. Agora, pois, deixa-me, para que se acenda contra eles o meu furor, e eu os consuma; e de ti farei uma grande nação.

O diabo tem colocado muitos bezerros de ouro dentro das Igrejas locais e dentro do coração de muitos Crentes como aconteceu no deserto, muitos tem perecido por causa da idolatria.

03. O dever de não praticar imoralidade

Imoralidade é tudo aquilo que fere a pureza física, moral e espiritual, pratica de maus costumes.

E não pratiquemos imoralidade, como alguns deles o fizeram, e caíram, num só dia, vinte e três mil - v.8.

Conforme Números 25 o povo de Deus se prostituiu com as filhas dos moabitas e com seus deuses. Por esta razão a ira de Deus veio sobre o seu povo: Disse o Senhor a Moisés: Toma todos os cabeças do povo e enforca-os ao Senhor ao ar livre... E a praga enviada por Deus causou grande mortandade, vinte e quatro mil.

04. O dever de não por o SENHOR a prova

Aquele povo tinha a proteção e a provisão de Deus, mas era ingrato e murmurava e reclamava de Deus e de seu Pastor Moisés.

Não ponhamos o Senhor à prova, como alguns deles já fizeram e pereceram pelas mordeduras das serpentes - v.9.

Números 21.4-6: Então, partiram do monte Hor, pelo caminho do mar Vermelho, a rodear a terra de Edom, porém o povo se tornou impaciente no caminho. E o povo falou contra Deus e contra Moisés: Por que nos fizestes subir do Egito, para que morramos neste deserto, onde não há pão nem água? E a nossa alma tem fastio deste pão vil. Então, o SENHOR mandou entre o povo serpentes abrasadoras, que mordiam o povo; e morreram muitos do povo de Israel.

A falta de confiança em Deus leva as pessoas a questionarem os seus planos e a sua Palavra, assim, vindo a sofrer sérios danos e até a morte.

05. O dever de não murmurar

Os murmuradores querem ser mais justos do que os todos e nas suas murmurações ganham a inimizade de Deus.

Conforme Números 16, Corá tomou consigo Datã, Abirão e mais duzentos e cincoenta homens para contender com Moisés, mas Deus exterminou-os com suas casas e tudo o que tinham. Por esta razão todo o Israel murmurou contra Moisés e morreram mais catorze mil e setecentos.

Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador - v.10.

A murmuração atrai demônios exterminadores, Deus libera pragas contra os murmuradores. A murmuração atrai miséria em todas as dimensões da vida diária.

Devemos ser vigilantes para não cairmos na tentação de nos julgarmos mais justos do que os outros e de nos colocarmos no lugar de Deus.

Conclusão

Estas coisas lhes sobrevieram como exemplos e foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado. Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia - 1ª Coríntios 10.11-12.

Os Crentes de hoje não erram por ignorância, erram porque decidem agir errado!

Muitos não cumprem os seus deveres de Crente porque julgam a partir de seu ponto de vista e não conforme a visão de Deus ensinada na Bíblia.

1ª Pedro 5.6-8: Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé...

Se você citar a nossa autoria (Paulino Cordeiro) e nosso site (http://www.familiaabencoada.org.br) poderá pregar na sua Igreja ou publicar em outros Sites. Dê bom testemunho para poder abençoar, seja fiel.

Paulino Cordeiro - Pastor da CEFA - Comunidade Evangélica Família Abençoada.   Sermão compartilhado em 31.08.2014 - Noite.