ESTRATÉGIAS PARA A VITÓRIA - 2º Crônicas 20.17-29

Pr. Paulino Cordeiro | 25-06-2009

A vitória não vem por acaso, exige uma tomada de posição, ou seja, existem estratégias que devem ser seguidas a risca.

(Baixe aqui o áudio deste sermão no formato MP3 -  tamanho de 3.87Mb).

 

Josafá era um adorador fiel, seguindo a Palavra de Deus (2 Crônicas 17.3-4), ensinou a Palavra ao povo (2 Crônicas 17.7-9), Veio o terror do SENHOR sobre todos os reinos das terras que estavam ao redor de Judá, de maneira que não fizeram guerra contra Josafá (2º Crônicas 17.10).

O Rei Josafá orou e Deus atendeu a sua oração, agora vemos que Deus, por intermédio do profeta, revela a estratégia e ele entende.

Neste encontro, não tereis de pelejar; tomai posição, ficai parados e vede o salvamento que o SENHOR vos dará, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR é convosco - v.17.

1. Adoração com louvor - v.18-19

O Rei Josafá e todo o povo adoraram e louvaram a Deus como nunca fizeram antes, apesar da grande multidão de guerreiros que vinham contra eles (v.2).

Quando estamos firmados na estratégia da adoração com louvor, mesmo que o inimigo esteja avançando contra nós, ficamos na Paz de Jesus, pois, sabemos que a luta não é nossa, mas de Deus (v.15).

Josafá e todo o povo estavam prontos para a guerra, porém o inimigo era imensamente mais poderoso do que eles e estavam com medo (v.3). Antes de irem para a guerra deveriam vencer o medo que estava dentro deles.

Se o medo é um culto ao inimigo, a estratégia foi usarem as armas da adoração com louvor, exaltando ao SENHOR dos exércitos, pois, somente Ele pode derrotar tanto o medo como o autor do medo.

2. Encorajamento - v.20

No dia seguinte, já libertados do medo, disse o rei ao povo: Crede no SENHOR, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas e prosperareis.

O povo estava a beira de uma grande derrota; os derrotados perdiam tudo, ficavam inseguros, escravizados e na miséria, mas eles já tinham vencido o medo, agora só precisavam crer na segurança e na prosperidade que procedem das mãos de Deus.

O rei encorajou o povo para que mudassem a direção da sua fé; já estavam libertos do medo, agora deveriam confiar na segurança e na prosperidade que procedem de Deus.                    

Não tenho medo de milhares do povo que tomam posição contra mim de todos os lados. Levanta-te, SENHOR! Salva-me, Deus meu, pois feres nos queixos a todos os meus inimigos e aos ímpios quebras os dentes. Do SENHOR é a salvação, e sobre o teu povo, a tua bênção - Salmo 3.6-8.

3. Confiança na misericórdia de Deus - v.21-24

Agora, libertos do medo, encorajados com a segurança e a prosperidade Divinas, cantam exaltando a misericórdia de Deus.

Enquanto aquele povo abriu o coração para exaltar a misericórdia de Deus (v.21b), o próprio Deus ia destruindo o medonho inimigo (v.22-23).

Cantaram, cantaram e cantaram a misericórdia de Deus, daí saíram ao encontro do exército inimigo; encontraram um exército, porém, um exército de mortos pela mão de Deus (v.24).

A estratégia do povo de Deus é diferente da estratégia do inimigo, eles atacam confiantes em si mesmos, porém, o povo de Deus confia na misericórdia do seu Deus.

Quanto a mim, porém, sou como a oliveira verdejante, na Casa de Deus; confio na misericórdia de Deus para todo o sempre. Dar-te-ei graças para sempre, porque assim o fizeste; na presença dos teus fiéis, esperarei no teu nome, porque é bom - Salmo 52.8-9.

4. Gratidão - v.25-29

Todas as estratégias adotadas tinham funcionado perfeitamente, conduzindo-os a segurança e a prosperidade, estavam abençoados por Deus. Agora era o momento da estratégica gratidão, tomaram posição no Vale da Benção e louvaram ao SENHOR dos Exércitos (v.26). Todos, com um só entendimento, expressaram sua gratidão a Deus no local da vitória; só depois, sob o comando do seu Rei, retornaram com grande alegria para continuarem expressando sua gratidão na Casa do SENHOR (v.27-28).

Conclusão

Quando recebemos estratégia do SENHOR ficamos em paz porque sabemos que Ele sempre peleja por nós: Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão, pois a peleja não é vossa, mas de Deus - 20.15b.

A ordem de Deus foi: TOMAI POSIÇÃO.

Quando nos convertemos fomos assentados nos lugares celestiais em Cristo Jesus (Efésios 2.6), ou seja, assumimos uma posição espiritual estratégica. Se mantivermos a posição em Cristo, obedientes a tudo o que Deus manda, certamente seremos vitoriosos e gratos.

Você tem feito uso das estratégias para a vitória contra o inimigo ou tem vivido na escravidão do medo?

Pr. Paulino Cordeiro - Pastor da CEFA - Família Abençoada -21.06.2009 -noite