A Virtude Maior

| 01-03-2006

Saber falar, ter o dom da comunicação, é maravilhoso demais;

entender o que as línguas querem dizer, encantador,

mas se não houver amor, tudo se resume em simples ruídos.

A profecia, dom que exprime o saber do espírito;

os mistérios, segredos impenetráveis do sobrenatural;

a ciência, luz que plenamente satisfaz a razão;

a fé, dádiva de Deus, além de todo entendimento.

Mas, se não houver amor, a imensidão do conhecimento é coisa alguma.

 

Os pobres, Jesus disse: "sempre os tereis convosco".

declaração evidente de que a ganância não tem limites,

tanto que doar ou doar-se, para alguns, é holocausto.

Porém, doar tudo, e a própria vida, ainda não é amor,

porque não há proveito algum em dar sem amar.

 

O amor está acima de tudo... de todas as coisas... não se define!

Entrega-se pela felicidade de dar....

Ser sofredor, faz parte de sua natureza: simples e pura;

nenhum traço de esperteza, inveja, cobiça, ou soberba.

Simples porque é justa, honesta, bondosa, decente, tranqüila e verdadeira.

O amor é puro porque é crente! Infalível... eterno...

 

Maior do que tudo, do que todos, do que todas as coisas,

só pode ser Deus!

Mas... O amor não é Deus: Deus é amor!

Então o amor é parte do Deus Criador.

Sua imagem criada em nós,

deixemo-la, com toda a sua força,

aflorar espontânea e natural

em nossos corações!

Em todo o nosso ser!

Pr. Gilberto Stêvão

(Boletim 175)