AUTORIDADE QUE VEM DO CÉU – Apocalipse 4.1-11

| 13-06-2007

Muitos Cristãos perderam a noção do relacionamento entre a Igreja e o Trono de Deus, a Majestade de Deus tem sido barateada. Há um grande poder neste relacionamento, pois, as portas do inferno não resistem ao poder que há na verdadeira Igreja, ou seja, não suporta a autoridade do verdadeiro Crente. Eu sou um verdadeiro Crente?

 

   Quando falo "verdadeira Igreja e verdadeiro Crente" refiro-me à única Igreja formada por todos os salvos e libertos no Sangue do Cordeiro de Deus e que obedecem a Palavra de Deus, descrita na Bíblia.

   Existem crentes autônomos, independentes da Igreja e até de Deus? É claro que não, pois, se alguém julga ser independente dos princípios que constituem a Igreja, já não é da Igreja, é das trevas (1Co 12.12-27).

   Como estamos organizados? Será que ser Cristão é simplesmente viver sem obedecer aos princípios de autoridade ordenados por Deus? Não se deixem enganar, muitos têm adotado o apelido de "CRISTÃO", entretanto vai muito além de um "apelido", SER Crente é ser um soldado do Exército de Deus, sujeito aos seus superiores e a ordens determinadas pelo GENERAL.

   O Reino de Deus é único, a Igreja de Deus é única, mas porque tantas "igrejas", com nomes diferentes? Estes nomes diferentes são necessários somente para identificar pequenos grupos de comunhão local, formada por Crentes verdadeiros, visando crescimento espiritual e ganhar vidas para o Reino de Deus.

   O diabo tem vendido a idéia de que a Igreja de Deus está dividida, na verdade há "igrejas" inteiras, com o apelido de "cristã" que se desviaram da verdade; também, há "crentes" com o apelido de "cristão" que não andam na verdade, portanto, ambos não pertencem à Igreja Verdadeira e são servos das trevas. A Igreja de Deus não está dividida, pois ela é formada por crentes verdadeiros que obedecem a Palavra de Deus, ao passo que os falsos crentes e as falsas igrejas não obedecem aos mandamentos que  Deus manda na Bíblia.

   Como é bom saber que tenho autoridades sobre mim, que devo prestar contas de tudo! Assim, tenho em quem buscar reforço na hora da fraqueza, tenho alguém com mais autoridade e maior sabedoria para orientar-me quando estiver prestes a praticar tolices.

   Como Crentes verdadeiros, vivemos em constante guerra espiritual, mas seremos vitoriosos somente se estivermos agindo segundo as ordenanças que procedem do Trono de Deus. É vital compreendermos que toda a autoridade procede do trono de Deus e é exclusivamente para a glória de Deus.  

01. O poder de Deus- Ap 4.2 

  Na Bíblia temos sempre a visão do nosso Deus exaltado acima de tudo e de todos; Ele é Senhor dos senhores, Rei dos reis, Deus dos deuses, é o Senhor dos exércitos, o Deus Todo-Poderoso. Ele não precisa de nomes ou títulos, é o Ser supremo, pois disse a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros - Êxodo 3.14.

  A expressão EU SOU O QUE SOU em Hebraico é IAVÉ (YHVH) que é o verbo ser, estar, que exprime ação estendida no tempo passado, presente e futuro.

  O Trono de Deus está firmado no Céu: Imediatamente, eu me achei em espírito, e eis armado no céu um trono, e, no trono, alguém sentado - Ap 4.2.  Aqui, João está experimentando a fidelidade de Deus para comunicá-la ao povo, pois Ele revela seus mistérios a homens santos visando o bem de muitos outros.

  Estevão também teve uma experiência semelhante, visando confortá-lo e fazer mais conhecida a majestade de Deus: Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus e Jesus, que estava à sua direita - Atos 7:55.

  Armado no céu um trono, e, no trono, alguém sentado: Muitos achavam, naquele tempo, que o trono principal do universo estivesse em Roma, e que o imperador sentado nele fosse o deus supremo. João convida os Cristãos a enxergarem, por meio desta visão, o verdadeiro Trono e o verdadeiro Deus. O trono de Deus é mencionado 36 vezes no Apocalipse, ressaltando o poder e o domínio de Deus.   

02. A glória de Deus - Ap 4.3-8

  O ser humano, na pobreza da sua linguagem, jamais encontraria palavras adequadas para descrever a Glória de Deus, é por isto que são usados objetos de glória terrena para descrever a Glória de Deus.

  Jaspe e Sardônio, duas pedras preciosas e brilhantes, mais o arco-de-Deus (nunca foi arco-iris, íris é da mitologia Grega)  ao redor do trono. As pedras preciosas são absolutas, representam a mais absoluta pureza, santidade e justiça de Deus. O Arco da aliança com Noé, agora está ao redor do Trono para lembrar que a Glória de Deus é a marca da Sua fidelidade (Gn 9.12-13). Assim diz o salmista: Justiça e direito são o fundamento do teu trono ... na luz da tua presença ...se alegra e na tua justiça ... tu és a glória de sua força...(Sl 89.14-17).

  Ao redor do trono: Vemos que o Trono de Deus é o centro de tudo, tudo passa a existir a partir do Trono e para o Trono. Tudo começa com Deus!!!

  Vinte e quatro tronos e vinte e quatro anciãos: Representam a totalidade da Igreja de Deus; doze anciãos do VT que são as Doze Tribos; doze anciãos do NT que são os Doze Apóstolos, uma descrição figurada da Igreja de todos os tempos.

  Vestidos de branco - Apocalipse 3.5; 7.9: Temos a roupagem branca representando a santidade e a pureza dos Crentes fiéis a Deus, é a única veste apropriada aos vencedores.

  Coroas de ouro: Coroas, do Grego stephanos, usada para descrever as coroas dos vencedores.  Os anciãos sentados nos 24 tronos estão investidos de autoridade real, pois representam o sacerdócio Real (1 Pedro 2.9).

  Do trono saem relâmpagos, vozes e trovões: Representa o poder de Deus para ser visto e ouvido pelos povos; poder para falar, julgar e castigar. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!!! Quem tem olhos para ver, veja!!!

  Sete tochas de fogo, que são os sete Espíritos de Deus: Representam o Espírito Santo (Apocalipse 1:4), que ilumina a Igreja. As sete tochas são uma figura representando a onisciência, onipresença e onipotência de Deus (Apocalipse 5:6).

  Há diante do trono um como que mar de vidro, semelhante ao cristal: No Tabernáculo de Moisés, os sacerdotes se purificavam na Bacia de Bronze, onde ficava a água da purificação (Ex 30.18); já, no Templo de Salomão, a mesma purificação era feita no mar de fundição, antes de chegar perto de Deus (2 Crônicas 4:1-6); agora, diante do Trono de Deus é um Mar de Vidro, assim, lembrando a exigência de santificação para ter comunhão com Deus.

  Quatro seres viventes: Ao redor de Deus estão servos habilitados pelo Espírito de Deus para ver tudo o que acontece. Estes quatro seres viventes são uma figura ensinando que todos os poderes e forças existem para a Glória de Deus.

  Não têm descanso, nem de dia nem de noite, proclamando: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir. Servem, servem, servem e adoram eternamente a Deus. Estes quatro seres viventes nos ensinam a verdadeira adoração (João 4.24)

  As nações têm seus exércitos humanos, pensam possuir algum poder, mas somente Deus tem poder absoluto, Ele é o Senhor dos Exércitos. Esta certeza é o nosso grande conforto, somos  protegidos por Ele, e isto aterroriza os nossos inimigos, pois Ele é o Deus Eterno, "Aquele que era, que é e que há de vir" (Apocalipse 1:4).

  Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos - Zacarias 4.6.

03. A autoridade de Deus - Ap 4.9-11

  Quando esses seres viventes derem glória, honra e ações de graças ao que se encontra sentado no trono, ao que vive pelos séculos dos séculos,
os vinte e quatro anciãos prostrar-se-ão diante daquele que se encontra sentado no trono, adorarão o que vive pelos séculos dos séculos e depositarão as suas coroas diante do trono, proclamando: Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas
- 4:9-11.

  Glória, honra e ações de graças...: Os seres viventes adoram a Deus, pois reconhecem a Sua Soberania, só Ele é digno de receber toda a glória, a honra e o poder.

  Os vinte e quatro anciãos prostrar-se-ão: Os 24 anciãos, simbolizam toda a Igreja de Deus de todos os tempos, participam, em espírito e em verdade, louvando e adorando a Deus.

  Depositarão as suas coroas diante do trono: Significa que está encerrado o reinado (coroa) de Deus na terra através da Igreja. A Igreja tem recebido autoridade (coroa) na terra, para a Glória de Deus, até que Jesus volte, mas quando se juntar a Deus no Tabernáculo Celestial a sua glória será a Glória de Deus.

  Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder: Só Deus é digno de esplendor, majestade, exaltação, reverencia real, força e habilidades. Deus é o Todo-Poderoso, não precisa de tudo isto, pois Ele é tudo isto e muito mais, mas nós os seus filhos voluntariamente reconhecemos e tributamos com as nossas vidas por causa do Seu grande amor.

Conclusão

Deus está no Céu, do seu Trono a tudo governa e controla. Ele é o Soberano Senhor que criou e domina o universo. A Ele devemos a adoração e a obediência. É o Deus Santo e Todo-Poderoso, Ele é o Eterno que, através do Seu filho Jesus, o Cristo, nos adotou como filhos para a comunhão eterna.

Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram - Ap 21.3-4.

 

 

Paulino Cordeiro - Pastor - 06.05.2007 - noite.